Na sua sessão plenária de 13 de abril a Assembleia Municipal aprovou recomendar à Câmara Municipal de Lisboa a implementação de sistema de videovigilância na zona do Campo Grande.

O relatório e as recomendações surgiram na sequência da petição “Por uma Universidade Segura”, submetida à AML pela Associação Académica da Universidade de Lisboa em 2020, que manifesta apreensão pelo “clima de insegurança” sentido nos ‘campus’ da Ajuda e da Cidade Universitária da Universidade de Lisboa (UL).

O deputado relator João Valente Pires referiu na sua intervenção que “a videovigilância, na nossa perspetiva, não retira nenhum direito, não retira liberdade, nem retira garantias ao cidadão. Muito pelo contrário, a  videovigilância serve para ajudar a que os cidadãos têm os seus direitos precavidos, as suas liberdades plenas e a garantia que não terão problemas em frequentar o espaço público”.

O líder do Grupo Municipal do PS, Manuel Portugal Lage, interveio também na apreciação desta recomendação para relembrar que “nós temos que ter liberdade sim, mas temos que exercer essa liberdade em segurança acima de tudo, pois as pessoas merecem essa segurança.”

Além desta recomendação, a Assembleia aprovou também a proposta da Câmara Municipal que contempla a reposição das normais condições tarifárias do estacionamento em Lisboa. A suspensão do pagamento do estacionamento na via pública tarifado pela EMEL estava em vigor desde 25 de Janeiro e o pagamento foi reposto a 14 de abril.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.