O deputado municipal do Partido Socialista (PS), Luis Coelho afirmou hoje que a Informação Escrita apresentada pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, “pode ser batizada como a Informação do muito e do pouco”.
“Muito do que aqui consta resulta também de projetos que o atual executivo herdou do anterior executivo liderado pelo PS. Pouco se percebe sobre quando o atual executivo irá começar a imprimir uma verdadeira marca de desenvolvimento de políticas em prol da cidade.”
A Informação Escrita apresentada no plenário da Assembleia Municipal de Lisboa reporta a atividade desenvolvida no 3º trimestre do presente ano, sobre a qual o PS considerou ainda que “neste trimestre as pessoas esperavam muito mais obra visível das promessas que lhes fez na sua campanha eleitoral”.

Em relação à Jornada Mundial da Juventude, o deputado municipal Luis Coelho, relembrou o “triste espetáculo mediático da birra que a Câmara fez com o Governo sobre quem paga isto ou aquilo”.

Sobre habitação, a informação escrita menciona a entrega de 128 casas em regime de renda acessível, um trabalho desenvolvido pelas Vereações anteriores do PS. E ainda vai entregar as restantes 348 casas do loteamento da Avenida das Forças Armadas”.

A situação da Higiene Urbana, também foi relembrada por estar na ordem do dia, mas pelos piores motivos. Nunca houve tantas queixas, nem a cidade esteve tão suja, situação que poderia ser pior se não fosse o desempenho dos colaboradores das Juntas de Freguesia.
Sobre “o valor pago aos trabalhadores como acerto do Suplemento de Penosidade e Insalubridade”, Luis Coelho afirmou que “não foi um ato de boa vontade da Câmara”, ou seja, resultou de “uma obrigação legal deste executivo efetuar esse pagamento aos trabalhadores”.
Quanto à tão divulgada medida sobre a gratuitidade dos transportes públicos para jovens e idosos, o deputado municipal, defendeu que “é compreensível que esteja sempre a referir essa medida, como se fosse um feito histórico. Não é histórico, mas ficará na história, embora num patamar inferior à verdadeira revolução efetuada na Mobilidade das pessoas, como foi a da implementação do Passe Municipal e do Passe Metropolitano a preços muito reduzidos” que abrangeu toda a área metropolitana e todas as faixas etárias.

Para o Partido Socialista, o trabalho desenvolvido pelo atual executivo da Câmara Municipal de Lisboa no terceiro trimestre de 2022, fica muito aquém do que os Lisboetas esperavam, e por isso continuará de forma responsável a ser uma oposição que “em momento algum se demitirá de participar em todas as decisões que digam respeito à vida da cidade e dos Lisboetas”.

Assista à intervenção do deputado municipal do PS, Luis Coelho, onde foram abordados estes e outros temas, como segurança, Plano de Drenagem, Plano de Ação Climática Lisboa 2030, mobilidade ou educação.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.